Semana TCG: o que estamos jogando (19/05/2014)
70
Compartilhamentos

Semana TCG: o que estamos jogando (19/05/2014)

Último Vídeo

Nova segunda-feira no mundo dos games e mais uma vez chega a hora de apresentarmos o quadro "O que estamos jogando". Talvez você pense que seja impossível que os títulos prestigiados por nós mudem a cada semana, mas acredite: a equipe BJ é muito grande e nós simplesmente adoramos jogos eletrônicos.

Sem mais delongas, confira o que estamos jogando. Lembramos que aqui constam apenas alguns dos games que estamos testando, embora possamos estar experimentando outros títulos simultaneamente. Além disso, aparecem neste quadro somente alguns dos integrantes da equipe BJ. Vamos lá?

Bruno Micali - Fable Anniversary

Ah, a magia da Lionhead Studios, que agora novamente agraciou os meus olhos com o recém-lançado Fable Anniversary para Xbox 360, remasterização do clássico lançado 10 anos atrás apenas no PC. E que trabalho lindo! Os cenários estão completamente retexturizados, com especial capricho nas expressões faciais, agora menos opacas, e no preenchimento de fundo, agora mais "cheio".

Fable é uma experiência simplesmente fenomenal. Lançado num período em que não sabíamos direito o que era mundo aberto, esse conto fantasioso traz zilhões de coisas para fazer num RPG americano completo, com um inteligente sistema de customização – e robusto até hoje, pasmem –, combate divertido e personagens carismáticos. Fable é um daqueles títulos que têm a tal da "magia", e por isso é inesquecível. Está me fazendo esquecer a nova geração, na verdade.

Douglas Vieira - WildStar

Tempo livre? Bota tudo na conta daquele game de RPG online da Carbine e da NCSoft que será lançado em 3 de junho: WildStar.

Enquanto continuei minha busca para descobrir um pouco mais dos segredos do planeta Nexus (e, claro, evoluir meu personagem), percebi mais algumas características bacanas do jogo. Porém, guardarei esses comentários para uma outra oportunidade – visite o BJ amanhã para saber do que estou falando.

Ah, e também sobrou um tempinho para visitar o escritório da Ubisoft em São Paulo e conferir uma das novas apostas da empresa, Valiant Hearts: The Great War. O que eu achei? Clique aqui e confira.

Felipe Gugelmin - Dragon Age 2

Embora Dragon Age: Origins seja um dos meus jogos favoritos da geração passada, confesso que nunca consegui ir muito longe em Dragon Age 2. Mesmo apresentando personagens legais, o jogo peca em vários quesitos em que seu antecessor se deu muito bem: entre eles, a baixa variedade de mapas e a pouca personalização dos membros de seu grupo.

Então por que estou jogando isso? Confesso que o principal motivo é o hype por Dragon Age: Inquisition, que deve fazer diversas referências à história do segundo jogo da série. Até o momento, estou conseguindo ignorar as decisões de design duvidosas da BioWare, só espero que minha paciência dure tempo suficiente para eu finalmente terminar a história de Hawke.

Fábio Jordão - ZombiU

Aproveitando os bons preços da loja virtual da Nintendo, resolvi embarcar na mais assustadora jornada de terror do Wii U. É claro que estou falando de ZombiU, o título exclusivo que todos falavam muito bem e que é de fato surpreendente. Estou aproveitando cada minuto de jogo e me divertindo com o alto grau de dificuldade.

A interação proposta com o gamepad do console é um diferencial importante que nos permite fazer parte da história e ter um contato mais direto com o ambiente. Os gráficos do jogo são impressionantes e a sonoridade ajuda a deixar tudo ainda mais assustador. A jogabilidade não é tão boa assim, mas dá pra relevar essa questão.

A atmosfera do jogo é simplesmente fantástica. Não imaginava que o Wii U tivesse tamanho poder e que o game conseguisse atrair tanto minha atenção. No fim das contas, ZombiU consegue deixar o jogador tenso e proporcionar bons momentos de diversão. Ainda não pude ir muito longe, mas as poucas horas jogadas são suficientes para ter certeza de que o console da Nintendo tem potencial e que a Ubisoft sabe bem o que faz.

Maximilian Rox - DotA 2

Com o The International 4 chegando, resolvi me atualizar do clássico dos MOBAs e passei os últimos dias matando as saudades deste jogo que já trouxe tantas emoções e partidas épicas. Aproveitei e comprei o Compêndio, e ele também já me prometeu grandes novidades com esse prêmio que quebrou todos os recordes e metas já imaginados para o eSport.

Para aumentar a graça, não resisti e comprei também a narração de The Stanley Parable - e ele tem me garantindo boas risadas mesmo nas mais desastrosas situações. "Ótimo. Saia. Veja se eu me importo", comenta o locutor quando um personagem desconecta da partida. Genial.

Eu poderia citar as falas deles por mil e um caracteres ainda, mas deixo apenas uma que me marcou muito. "Agora, lembre-se, não há escolhas erradas aqui", diz a voz do onipresente narrador enquanto você escolhe por um herói. Não tem como sentir uma pitada de ironia; afinal, em The Stanley Parable ou em DotA 2, realmente o desastre ou o sucesso podem nascer a partir de uma simples escolha.

E você, o que está jogando neste momento?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.