Voxel

Semana TCG: o que estamos jogando (03/12/2012)

Último Vídeo

Img_normal

Primeira segunda-feira de dezembro e novamente chegou a vez de apresentarmos o quadro "O que estamos jogando". Talvez você pense que seja impossível que os títulos prestigiados por nós mudem a cada semana, mas acredite: a equipe BJ é muito grande, e nós simplesmente adoramos jogos eletrônicos.

Sem mais delongas, confira o que estamos jogando. Lembramos que aqui constam apenas os games que MAIS estamos jogando, embora possamos estar experimentando outros títulos simultaneamente. Além disso, aparecem neste quadro somente alguns dos integrantes da equipe BJ:

Joguei o primeiro game do Homem-Morcego somente quando o título foi lançado. Agora que destrinchei o segundo jogo da série, resolvi retomar as investigações no Asilo Arkham e enfrentar os desafios novamente. 

A diferença nos gráficos é visível se comparado com o segundo título, principalmente nas animações que são muito melhor elaboradas em Arkham City. Contudo, o jogo — que é um dos melhores dessa geração, em minha opinião — é obrigatório para quem é fã de ação e, principalmente, do Batman.

Finalmente consegui dar um pouco de atenção a um dos games que às vezes ficam "juntando poeira" no meu Steam. E Bit.Trip Runner é, para mim, acabou se tornando um dos ícones do gênero Plataforma. Não só isso: é simplesmente genial a dinâmica entre a trilha sonora e as ações que você executa. A versão para PC faz jus ao clássico e é viciante.

Depois de uma surpresa que fez meu cérebro grudar no teto logo nas primeiras horas de jogo, achei que nada poderia me fazer ter raiva desse game. Mas a Ubisoft conseguiu: graças a um bug, estou impedido de conseguir sincronização total em uma das missões – logo, adeus cobiçado troféu de platina...

Embora tenha um estilo visual bastante semelhante a Shank, Mark of the Ninja não lembra em nada o game mais famoso do estúdio Klei. No papel de um assassino, cabe a você se infiltrar em um complexo industrial extremamente protegido para acabar com a vida do executivo que tentou destruir o seu clã.

O que se destaca no jogo é seu ótimo design de fases, que sempre apresenta possibilidades distintas para solucionar um problema. Cada sala é um verdadeiro puzzle, que se torna ainda mais legal quando você tenta seguir a regra de permanecer totalmente invisível ao olhar dos inimigos. Isso sem dúvida torna o título um dos principais lançamentos do mercado independente este ano.

A mesma fórmula de sempre, com visuais em alta definição, porém sem utilizar nada de novo no GamePad do Wii U. No entanto, só a possbilidade de deixar a televisão ligada e continuar a jogatina de Mario no controle poupou conflitos com quem queria usar a televisão lá em casa. Aprovado!

E você, o que está jogando neste momento?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.