Voxel
42
Compartilhamentos

Semana TCG: o que estamos jogando (24/06/2013)

Último Vídeo

Img_normal

Nova segunda-feira no mundo dos games e chega a hora de apresentarmos o quadro "O que estamos jogando". Talvez você pense que seja impossível que os títulos prestigiados por nós mudem a cada semana, mas acredite: a equipe BJ é muito grande, e nós simplesmente adoramos jogos eletrônicos.

Sem mais delongas, confira o que estamos jogando. Lembramos que aqui constam apenas os games que MAIS estamos jogando, embora possamos estar experimentando outros títulos simultaneamente. Além disso, aparecem neste quadro somente alguns dos integrantes da equipe BJ:

Hora de Aventura já é meu desenho favorito e o game não poderia ser diferente! Acabei de comprar meu 3DS e nem consegui abrir os outros jogos que peguei junto com o console. 


?O game tem um mapa estilo Pokémon e as fases são todas de plataforma. O mais divertido é a fidelidade do título ao desenho. Na história, o Rei Gelado roubou seu lixo e você deve recuperá-lo. Depois que a busca começa, você deve progredir ajudando os seres da Terra de Ooo cumprindo missões que funcionam como um quebra-cabeça. Mesmo com uma história longa, já cheguei em 48% do jogo e encontrei quase todos os personagens da primeira temporada! 

Os itens de recuperação de life são as comidinhas que aparecem no desenho e você vai encontrando objetos que dão poderes mágicos temporários para derrotar inimigos muito difíceis. As piadas e a trilha sonora são sensacionais também!

É o tipo de jogo que, se você joga em espaço público, tem que ficar se contendo pra não rir alto... Além de ser fofo e superdinâmico!

Nostalgia não falta quando um fã de longa data de Worms começa a brincar com os vermes na versão para PlayStation 3. Eu já gastei muitas horas da minha vida com amigos jogando as edições mais antigas para PC e agora tenho a oportunidade de retomar a diversão — novamente com amigos — no console da Sony.

Como a essência é exatamente a mesma, Worms 2 fica igualmente engraçado e empolgante nos consoles. É impossível não rir, por exemplo, ao cometer suícidio com uma "granada santa" e matar dois vermes inimigos ao mesmo tempo. Outra cena bizarra que presenciei recentemente foi a seguinte: um amigo meu errando o arremesso de uma banana explosiva e causando rombos absurdos no cenário. Quem morreu? Apenas um verme da equipe dele, mais ninguém.

Está aí uma série que comecei há muito tempo, mas que abandonei por me frustrar com a lógica bizarra do game. Entretanto, com a volta do famoso advogado em mais um game, resolvi que era hora de completar minha jornada.

Felizmente, parece que agora estou tendo muito menos problemas para progredir, embora empacando uma hora ou outra. É incrível ver como um game tão simples consegue ser tão divertido, trazendo personagens carismáticos, tramas envolventes e, acima de tudo, muitos desafios nos tribunais.


??Mesmo assim, fica aqui minha maior crítica: seja qual for seu adversário nos tribunais, parece que nenhum promotor é tão desafiador quanto Edgeworth. Ainda bem que, pelo visto, a Capcom percebeu isso e resolveu colocá-lo de volta na ativa em seu novo título.

Shadow over Mystara foi um dos jogos que mais consumiu as minhas fichas na saudosa época dos fliperamas, por isso eu fiquei bastante animado quando soube que a Capcom iria relançá-lo dentro da coletânea Chronicles of Mystara (a qual também conta com o primeiro game da série, Tower of Doom). Além disso, os dois jogos apresentam um dos melhores multiplayers cooperativos já lançados, sendo perfeitos para quem deseja divertir-se com os amigos.

Depois de muito procurar, finalmente encontrei a versão desse clássico para o Nintendo DS. Mesmo com uma ou outra mudança de interface, o jogo continua mantendo a essência que tornou a versão do SNES tão conhecida: personagens carismáticos, uma trama interessante e um sistema de batalhas bastante dinâmico.


Posso dizer que essa é a versão definitiva do título, incorporando as cenas animadas de Final Fantasy Chronicles sem os loadings característicos do primeiro PlayStation. Definitivamente valeu a pena ter investido novamente na compra do título, que agora finalmente posso jogar em qualquer lugar.

Sem a menor dúvida, estamos falando do game mais aclamado deste ano e um dos únicos a receber uma nota suprema do TecMundo Games. No entanto, não sei se é por falta de sorte, mas eu tenho descoberto alguns bugs no jogo e acho que ainda vamos ter muita discussão sobre esse maravilhoso título. Estou no finalzinho da aventura e louco para contar o fim para vocês! Glu glu!

E você, o que está jogando neste momento?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.