Voxel

Semana TCG: o que estamos jogando (28/01/2013)

Último Vídeo

Img_normal
A gente não só trabalha, mas joga também. E, em nosso tempo livre, aproveitamos os melhores lançamentos do mercado, com títulos que fazem a cabeça de todos. Nem sempre, porém, conseguimos jogar os games no momento em que eles chegam às prateleiras, gerando uma boa mistura de títulos do passado e do presente.

Se você está precisando de indicações de bons jogos, confira o que a equipe do TecMundo Games tem aproveitado nos últimos tempos.

Apesar de não fazer parte do grupo que odeia o novo Dante, me surpreendi com o que vi em DmC: Devil May Cry. Mesmo com uma aparência mais “marrenta”, o personagem ganhou um nível de profundidade inédito, e transformar sua mãe em um anjo só serviu para dar mais sentido ao fato de ele também ser o filho de um demônio.

No quesito jogabilidade, não há do que reclamar: o jogo continua tendo combates ágeis e diversificados, nos quais dá para abusar da criatividade na hora de fazer combos. Só senti falta de um sistema de mira mais preciso, algo que facilitaria o combate contra múltiplos inimigos, especialmente os voadores.

GTA San Andreas foi um dos grandes — e poucos jogos — que aproveitei no PC, sendo que o disco para o PS2 quase furou depois de tantas horas aproveitando-o. Imaginem minha surpresa ao saber que ele seria disponibilizado para o PS3. Agora, tenho revisitado Los Santos, assassinado gangues rivais, pilotado caças e, claro, dirigido muito ao som das rádios com excelente trilha sonora, cantarolando The Letter That Johnny Walker Read enquanto perambulo pela cidade rural atrás de Catalina (ah, aquele doce de mulher!).

Dando um intervalo na exploração da Rook Island de Far Cry 3, estou em busca do topo da lista de mais procurados no novo episódio da série Need for Speed. E confesso que tudo aquilo que citei como elogio em minha análise está se mostrando cada vez mais estrelado. Correr em alta velocidade confiando mais na sorte do que na habilidade para evitar uma colisão é uma experiência perfeita para um game de corrida. Vejo vocês na pista!

Estava ansioso para que o bigodudo desse as caras em um RPG no 3DS, e finalmente isso aconteceu. Estou gostando bastante de Paper Mario: Sticker Star, já que ele tem uma jogabilidade simples e organizada, como outros da série. Acredito que a divisão em fases facilita o andamento do jogo e cria um laço legal com outros "Marios". O título também é bem bonito e relativamente divertido. No começo é necessário entender bem o modo de batalha, senão ele se torna bem difícil. Entretanto, em minha opinião, Paper Mario Wii ainda dá um show em relação à história e à jogabilidade.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.