Voxel
04
Compartilhamentos

Sony processa equipe responsável pela destrava do PS3

Último Vídeo

O hacker George Hotz postou hoje pela manhã documentos da Sony no seu site pessoal. Enfim, o óbvio aconteceu: a empresa acaba de mover uma ação contra Hotz e a Fail0verflow, equipe responsável pela liberação da chave de criptografia privada da firmware do PlayStation 3.

De acordo com os documentos, a Sony afirma que os hackers infringiram pontos garantidos pela Digital Millenium Copyright Act (DMCA), lei de direitos autorais estadunidense que não apenas criminaliza a infração de direitos autorais em si, mas também a produção e distribuição de tecnologia que permita evitar medidas de proteção do direito do autor.

Além disso, o grupo teria violado também a Computer Fraud and Abuse Act — lei promulgada em 1986 nos EUA para diminuir a invasão de computadores —, já que obtiveram a chave de codificação e decodificação do console sem a devida autorização. Os hackers foram, portanto, diretamente responsabilizados por permitir a pirataria através das ferramentas criadas e distribuídas pela internet.

 Conforma chamou a atenção o site Eurogamer.net, a acusação de fraude da Sony compara o PS3 a um computador protegido que foi ilegalmente comprometido, em vez de um dispositivo adquirido legalmente — argumento bastante recorrente entre os hackers.

A acusação afirma ainda que Hotz teria se beneficiado financeiramente pelo seu trabalho ao aceitar donativos através do PayPal, incluindo ainda que a sugestão do hacker de que poderia desenvolver o sistema de segurança do próximo console da Sony, Microsoft e Nintendo seria outro meio obter lucro com o ataque.

Além da equipe principal da Fail0verflow, os documentos da Sony ainda afirmam que existem mais de 100 pessoas envolvidas, e que estas serão incluídas no processo tão logo suas identidades se tornem disponíveis.

George Hotz e Fail0verflow se manifestam...

George Hotz concedeu hoje uma entrevista ao site da emissora BBC. “Eu sou um fiel convicto às leis de direitos autorais”, afirmou o hacker. “Eu esperava que uma companhia que honra o seu bom nome com propriedades intelectuais fosse mais versada nas leis, de forma que estou desapontado com a ação movida pela Sony”. Hotz afirma que as acusações da gigante japonesa não tem nenhuma base.

Também um membro Fail0verflow se manifestou recentemente. Marcan, ou Hector Martin, declarou via Twitter: “Ah, então a Sony decidiu processar todos segundo as leis dos EUA. Acho que eu não vou poder visitar os Estados Unidos durante algum tempo... Sem mais comentários sobre a Sony, o PS3 ou qualquer coisa relacionada antes que eu tenha conversado com um advogado”.

Ademais, o site do grupo acrescentou o seguinte informe: “A nossa motivação foi a remoção do OtherOS [ferramenta que permitia a instalação de sistemas operacionais alternativos nos primeiros PS3]. Nós jamais fomos condescendentes, demos apoio, aprovamos ou encorajamos a pirataria de jogos. Nós jamais publicamos qualquer chave de criptografia. Nós jamais divulgamos qualquer código da Sony ou código derivado do código da Sony”.

A primeira audiência deve ocorrer ainda hoje. Aguarde novidades aqui no TecMundo Games.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.