Estar no Steam não é garantia de vendas, afirma desenvolvedor
130
Compartilhamentos

Estar no Steam não é garantia de vendas, afirma desenvolvedor

Último Vídeo

Durante um painel realizado na Game Developers Conference, alguns desenvolvedores mostraram que estar no Steam não é mais garantia de que seu jogo vai vender. Em um mercado cada vez mais lotado de lançamentos, está cada vez mais desafiador conseguir se destacar e ganhar dinheiro o suficiente para sobreviver.

“Então, aqui está a situação. Em fevereiro, cerca de 850 games lançaram no Steam, o que é cerca de 40 por dia”, afirmou Mike Rose, desenvolvedor do game Descenders. “Cerca de 82% desses não fizeram sequer o salário mínimo... por isso quero dizer, o dinheiro que veio de 82% desses jogos que chegaram no Steam não conseguiria sustentar uma única pessoa no salário mínimo Americano, que eu tive que pesquisar”.

Steam

Segundo Rose, o Steam está cada vez mais parecido com a App Store no sentido de que há muitos lançamentos e é difícil se destacar, especialmente levando em consideração que grande parte deles não tem muita qualidade. Ele afirma que não há mais como comparar o sucesso de games do passado com as condições enfrentadas atualmente devido ao ambiente da loja da Valve.

Rose acredita que mesmo a remoção dos jogos que ele considera como “porcaria” não traria muito alívio aos desenvolvedores. Segundo ele, em média cada game do Steam vai vender 2 mil cópias e gerar US$ 12,5 mil em vendas no primeiro ano, sendo que o valor médio acumulado no primeiro ano é de US$ 30 mil.

"Não é culpa da Valve, é só uma situação horrível. Mas também é uma ótima situação, porque mais pessoas podem fazer games. Eu penso que nos próximos anos haverá espaço para outra plataforma”

“É engraçado, não é, porque quando o Steam era fechado reclamávamos todo o tempo de que ele era fechado. Era um jardim com paredes, argh! E quando eles deixaram todos entrarem nós agimos como ‘NÃO! Mantenha eles fora! GREENLIGHT!’. Odiamos eles não importa o que façam. Não é culpa da Valve, é só uma situação horrível. Mas também é uma ótima situação, porque mais pessoas podem fazer games. Eu penso que nos próximos anos haverá espaço para outra plataforma”, afirmou Rose.

O conselho de Rose é que os desenvolvedores independentes têm que ter um “plano B” e que eles não devem esperar que o Steam sozinho consiga entregar de volta o investimento feito em um projeto. Segundo ele, o objetivo de seu painel não era desestimular pessoas, mas sim mostrar que é preciso ser cauteloso ao trazer jogos para a plataforma da Valve.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.