Superliga de LoL – 3ª rodada: CNB e Vivo Keyd continuam sem vencer

Superliga de LoL – 3ª rodada: CNB e Vivo Keyd continuam sem vencer

Último Vídeo

Na estreia do patch que trouxe as novas runas, os jogadores ainda estavam muito apegados às antigas combinações de jogo, mas algumas coisas novas já apareceram. Na questão dos jogos, “Takeshi” e “esA” empataram com a sua ex-equipe, perdendo a chance de se isolar na liderança do grupo A. Já a CNB segue lanterna no grupo. No grupo B, “Absolut” estreou bem na INTZ, fazendo o time ficar líder isolado. Já sua ex-equipe, a Team One, sofreu um pouco no começo mas conseguiu vencer, ficando na segunda colocação. 

Grupo A

CNB VS Pro Gaming 

No primeiro jogo com o novo sistema de runas, os jogadores não quiseram se arriscar muito. As escolhas não foram muito diferentes das que já vinham sendo apresentadas no torneio. A partida seguiu em grande parte equilibrada, sempre com trocas de abates, com os caçadores muito ativos, colocando o jogo pra rodar. A PRG estava sobressaindo nas rotações, sempre levando objetivos enquanto a CNB demorava a responder.

Numa segunda partida marcada por muitas pausas, a PRG foi ainda mais dominante. Num entendimento melhor da importância da selva e do impacto do caçador na partida, a equipe priorizou mais um início de partida muito forte com um Xin Zhao. A composição da CNB escalava melhor, mas dependia de muito tempo - tempo esse que a PRG fez questão de não ceder, fechando a partida e vencendo a série. 

Vivo Keyd VS Pain Gaming

Com uma composição muito mais fechada para as lutas em grupo – diferente da VK que tinha seu ponto forte, os pickoffs – a Pain sou soberana no começo da partida e nas primeiras lutas. As vitórias nos embates criaram a confiança em iniciar um Barão cedo. A VK contestou, usou bem o dano da composição e eliminou quase todos os jogadores da Pain. Esse momento foi o ponto de virada da partida. A Keyd, até então, estava atrás em ouro, mas após essa luta, virou e começou a tomar conta de todos os objetivos do mapa. Foi questão de tempo para a equipe forçar e vencer uma última luta e encerrar a partida com um a  zero na série.

Após a derrota na primeira partida, a Pain resolveu vir com uma composição mais agressiva, sem nenhum tanque  de ofício, com “Takeshi” trazendo um Rumble, algo diferente que vinha mostrando no campeonato. As chamadas da VK foram melhores, conseguiram abrir um bom espaço na rota inferior,  dificultando as iniciações da Pain que, mesmo se saindo melhor nas lutas, não pôde avançar muito por conta do inibidor aberto. Após uma boa luta, a Pain fez o buff do Barão e o push final para vencer uma partida muito equilibrada.

Ao fim dos jogos, a tabela do grupo A permaneceu assim:

tabela

 Grupo B

Team One VS Operation Kino

Tendo que se adaptar por estar sem atirador de origem, a TOne alterou a maioria das suas rotas. “VVert” foi movido para ser o adc “Marf” e foi realocado para a rota superior. Dentre as mudanças, quem mais pareceu sofrer foi o antigo toplaner. Sendo muito focado nas emboscadas, seu Varus ficou muito atrás em farm do atirador adversário. Com o passar da partida os golden boys conseguiram estabilizar a situação, principalmente pela atuação de “Brucer” com seu Kassadim, mantendo um excelente farm e chegadas muito boas pelo flanco. Era ele quem conseguia desestabilizar as lutas a favor da TOne. A OPK só via a vantagem de ouro abrir, e mesmo após uma boa luta forçada para tirar a vantagem do buff de Barão do adversário, a Kino não resistiu a outra luta, cedeu um quadra kill para o Varus e perdeu a primeira partida da série. 

A segunda série da partida começou com a mesma pressão da OPK, mas diferente da partida anterior. A TOne montou uma composição com muito mais mobilidade e proteção. As investidas da Kino não fizeram o mesmo “snowball”, sendo respondidas de forma rápida. A OPK tentou uma chama de dragão, mas não conseguiu fazê-lo de maneira rápida. A TOne contestou o objetivo, eliminou a maioria dos jogadores da OPK, rumou para o barão e após garantir o buff , conquistou a vitória.

 Kabum VS INTZ

O embate entre as duas equipes foi marcado pela estreia de “Absolut” na INTZ, o atirador que até alguns dias atrás atuava pela campeã do segundo split do CBLOL, a Team One. Para fazer valer a contratação, os intrépidos alocaram a maioria dos recursos para a rota, conseguindo a primeira torre do jogo. A Kabum tinha uma formação muito boa para controlar a onda de minions, e controlou a maioria dos dragões. Já a INTZ conseguiu efetuar bem a escolha do Kha’zix, conseguindo bons pickoffs. Com isso, e equipe conseguiu a maioria dos objetivos. Mesmo sendo superada em uma rotação da Kabum – que conseguiu um inibidor – a INTZ fez  Barão e Dragão Ancião, e com os dois principais buffs do jogo, os intrépidos fecharam uma partida bem disputada.

Diferente da primeira jogada, a Kabum começou ditando o ritmo, com a escolha de Xin Zhao na selva. O caçador acelerou muito o jogo, executando emboscadas bem sucedidas no começo da partida, dando muita vantagem para a dupla da rota inferior. A composição da INTZ demandava um pouco mais de tempo para crescer, então aceitou a pressão da fase de rotas do adversário. Na transição de começo para meio de partida, as coisas começaram a mudar para os intrépidos. A prioridade na escolha do Varus para o “Absolut” se pagou rapidamente, e o ponto que a equipe esperava chegou. Como na primeira partida, a INTZ controlou melhor os objetivos e, com muito mais tranquilidade, a equipe conseguiu fazer seu quinto Barão na série, fechando a partida e vencendo o jogo.

A classificação do grupo B ficou assim após a terceira rodada:

quadro

A Superliga retorna amanhã (19) com jogos a partir da 13h, com transmissão na Twitch.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.