The Witcher 3: devs querem o game para todos, mas “particularmente” no PS4

The Witcher 3: devs querem o game para todos, mas “particularmente” no PS4

Último Vídeo

Quem diria que, em meados de 2007, um já longínquo 2007, nasceria, nos games, uma franquia baseada em uma bem-sucedida série de livros do leste europeu. Uma franquia que alcançasse o status ao qual chegou agora: assim é The Witcher, que deve fechar, em fevereiro de 2015, a épica trilogia iniciada há sete anos.

Para quem não sabe, o título foi concebido exclusivamente para o PC e depois, tendo atingido as massas nos games, foi portado a outras plataformas. A CD Projekt Red lançou The Witcher 2 para o Xbox 360 um ano após o jogo ter chegado ao PC, tarefa que, de acordo com a desenvolvedora, foi “muito difícil”.

E agora, com PS4 e Xbox One por aí? Para nosso deleite, a sequência está sendo desenvolvida para as três principais plataformas inclusas no seleto rol da “nova geração”, isto é, PlayStation 4, Xbox One e, é claro, o PC. O motivo é justamente oferecer a experiência a um maior número de jogadores, já que a indústria cresceu exponencialmente desde 2007, quando um tímido The Witcher chegou somente ao PC.

A equipe está ciente de que The Witcher 3 teria esse apelo mais universal. “Precisamos estar nos novos consoles, particularmente o PS4, porque muitas pessoas estão atraídas por eles. É somente com os aparelhos da nova geração que conseguimos fazer muito mais. O mundo aberto sempre foi algo que quisemos fazer e acreditamos que era o elemento que estava faltando para essa história. Para tornar [a experiência] verdadeiramente imersiva, temos de deixar as pessoas explorarem à sua maneira. Sempre quisemos isso, mas não pudemos em função de limitações técnicas e tamanho da equipe”, explicou Mical Gilewski, apontando a preferência da equipe para o PS4, em entrevista ao site VG247.

Witcher 2 no Xbox 360 foi um perrengue, mas ficou bonito

Qualquer usuário se lembra bem do lançamento de The Witcher 2 em 2011. Era um daqueles ícones do jogo ultrapesado e exigente com o qual todos sonhavam no PC em configuração máxima. O porte para o Xbox 360, único console que recebeu o game, não foi nada fácil. “Foi muito difícil fazer o jogo rodar no Xbox 360. Era um game exigente, inteligente no PC. Tivemos de espremer tudo isso na outra plataforma e refazer muita coisa dentro do jogo. A mesma experiência precisou ficar limitada. Por sorte, nossa equipe sabia trabalhar com arquiteturas diferentes e deu tudo certo. Nem acreditei como conseguiram isso”, explicou o desenvolvedor.

Mais foco em Geralt e proximidade com o primeiro The Witcher

Na visão de Gilewski, The Witcher 3 resgata melhor a essência do primeiro, que concentrou a maior porção da trama em torno de Geralt. O segundo jogo, opina o desenvolvedor, tem “muita política”. Já o terceiro volta a focar no bruxo, nos problemas que o rodeiam e na relação dele com os outros personagens.

E quem não jogou os dois primeiros?

De acordo com Gilewski, a equipe preparou The Witcher 3 para ser acessível a todos os públicos, e a trama será apresentada de tal forma que qualquer novato entenda sem a necessidade de ter jogado os dois anteriores. “Estamos começando do zero e ao mesmo tempo pensando nos jogadores que vão encontrar elementos familiares – NPCs, locais, história. Vamos introduzir esses jogadores de uma forma que, se eles não conhecerem [a franquia], não sentirão que estão precisando de informações adicionais. Caso o jogador conheça, vai ver os mesmos caras ali dando piscadelas”, concluiu.

The Witcher 3 será lançado para PlayStation 4, Xbox One e PC em fevereiro de 2015. Conte-me mais sobre seu hype para o game. Porque o meu é infinito.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.