Universo gamer movimenta bilhões e novas carreiras surgem no mercado

Universo gamer movimenta bilhões e novas carreiras surgem no mercado

Último Vídeo

Times com esquema de concentração, treinadores, treinos intensos, sessões com psicólogos, patrocínios milionários. Seria corriqueiro se estivéssemos falando de futebol, basquete ou vôlei. Mas essa já é também a rotina de jogadores profissionais de eSports. Um segmento que, há poucos anos, deixou de ser amador e vem conquistando espaço rapidamente no mundo dos negócios, que parece não ter crise. Para se ter uma ideia, o mercado gamer movimentou, só no ano passado, cerca de US$ 1 bilhão no Brasil.

Para contar um pouco como esse setor se profissionalizou no país e deu origem a nova carreiras, a AOC estreia, no dia 30 de junho, o segundo episódio da websérie "Eu sou Gamer", com a história de Arthur "PAADA" Zarzur Curiati, empresário e dono de um dos times mais populares de eSports no Brasil, a paiN Gaming, além de Gabriel "MiT" Souza, hoje treinador, que explica porque o segmento gamer vai muito além dos jogadores e o diferencial de ter um bom técnico por trás da preparação para campeonatos.

Paada é o fundador da principal equipe profissional e administra todas as atividades internas para que o time consiga bons resultados nas competições do mundo todo: estrutura da casa onde todos os atletas moram juntos, além de contratos, patrocínios, relacionamento com as produtoras dos jogos e eventos.

“Ainda existe muito preconceito com nosso mercado por ser algo novo. As pessoas ainda enxergam como uma brincadeira ou perda de tempo quando, na verdade, é uma atividade com muitas oportunidades de carreira seja como jogador, coach, como também nas áreas mais tradicionais como vendas, marketing e administrativo. Muita gente está conquistando oportunidades que não conseguiriam em outro lugar”, afirma o empresário.

Montar uma grande estrutura e selecionar os melhores atletas do segmento não é o suficiente para comandar uma equipe campeã. É preciso que alguém organize as rotinas de treinamento dentro do time e faça com que cada um busque evoluir tecnicamente e, para isso, existe a função do treinador. MiT, que exerce essa função na paiN Gaming, acredita que o treino é tão importante quanto o dom.

“Quem tem um talento e não o exercita acaba tendo um talento desperdiçado. Os treinadores não necessariamente precisam jogar, mas têm de estar o tempo todo atualizados. Por isso, eu jogo um pouco para fazer alguns testes, além de jogar pelo prazer.”

O terceiro e último episódio da websérie Eu Sou Gamer será publicado em julho e terá participação da YouTuber Paola Buzzone e da gamer Cherry Gums, líder do time Black Dragons.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.