Já viu de tudo? Simulador brasileiro de aeroportos quer o seu apoio (e $$$)

Já viu de tudo? Simulador brasileiro de aeroportos quer o seu apoio (e $$$)

Último Vídeo

Voar e conquistar os ares são temas recorrentes no mundo dos games, seja em títulos que se focam em combates insanos entre pilotos ou simuladores que colocam o jogador em grandes aviões, levando passageiros pelo mundo afora. Porém, como fica o trabalho feito em terra para que todos esses ases dos céus possam pousar e decolar, hein? O game brasileiro ABS Academy tenta responder essas e outras perguntas através de um simulador de aeroportos.

Com uma quantidade gigantesca de simuladores no mercado, tratando sobre os assuntos mais bizarros – sim, estou olhando para você I Am Bread – não é de se estranhar que possamos ver finalmente um produto que mostra o cotidiano dos profissionais da área. Segundo o projeto do jogo no site de financiamento coletivo Kickante, o Airport Brazil Simulator Academy pretende se tornar a solução definitiva para quem quer desvendar “os mistérios dos aeroportos do Brasil”. Será que veremos o destino das malas que desaparecem e nunca mais voltam ao seu dono? Mistério.

A proposta é que o game seja uma espécie de treino para quem quer iniciar na área ou ainda um passatempo para curiosos. Segundo a descrição na página da vaquinha virtual, “o jogador iniciará com um determinado cargo e irá conquistando os superiores através de sua experiência até chegar no mais alto posto, finalizando o objetivo do game. A ideia é fazer com que pessoas comuns ou até mesmo profissionais da área conheçam todos os agentes responsáveis pelo funcionamento de um aeroporto”.

Para não deixar a jogatina cair na mesmice, a desenvolvedora paulistana ABS Softwares planeja despachar o jogo com 67 dos principais aeroportos nacionais, além de adicionar outros regionais e municipais em atualizações futuras. “Será o primeiro jogo do mundo a oferecer avaliações reais de aprendizagem a fim de garantir ao jogador conhecimento e diversão do setor aeroportuário”, explica o estúdio, afirmando contar ainda com a participação de funcionários do setor para assegurar a realidade.

Ruído na comunicação

Para levar à frente esse projeto ousado, a empresa espera arrecadar R$ 200 mil até o dia 12 de março no serviço de financiamento coletivo, com o dinheiro sendo usado primariamente para cobrir os custos de produção. A ABS Softwares explica também que está em contato com diversas companhias do setor, já que há espaço para publicidade dentro no game. Apesar disso, com dez dias de arrecadação o jogo não computou uma única doação para si.

Infelizmente é fácil perceber por que nem uma única pessoa escolheu se arriscar nas contribuições para o ABS Academy, que variam entre R$ 10 e R$ 48,4 mil. A lista é extensa: não há informações detalhadas sobre o desenvolvimento; o inglês “macarrônico” em alguns trechos mostram a falta de profissionalismo no projeto; falta um vídeo que mostre a equipe da startup apresentando adequadamente o jogo; e, por fim, não há uma única imagem que mostre que este é um produto sequer provável de existir.

A impressão que fica é de que tudo é muito cru e feito às pressas, sem se preocupar em passar segurança para que as pessoas invistam na causa. Checando as redes sociais da empresa e do game, por exemplo, é possível ver que não há uma única postagem que exponha o conteúdo, apenas a mesma imagem da “logo” repetida à exaustão nos perfis do Twitter e do Facebook.

Com diversos casos de produtos financiados não sendo entregues ou se mostrando bem diferentes do conceito inicial apresentado, mesmo em sites internacionais como o Kickstarter, a recomendação é: tenha cuidado. Talvez valha a pena esperar pela demo, que está agendada para algum ponto de 2015, e – esperamos – trará uma versão virtual do Aeroporto Internacional de Confins, em Minas Gerais. Enquanto isso, é possível tirar suas próprias conclusões no site do Kickante e checar abaixo as configurações para rodar o game.

Especificações Recomendadas

  • Sistema Operacional: Windows XP / 7 / Vista / 8
  • Processador: 3,0 GHz Pentium ou 100% compatível
  • Memória: 4 GB RAM
  • Placa de vídeo: Nvidia Geforce GTX 560, ATI Radeon HD 6970 (com DirectX 9.0c)
  • Armazenamento: 200 MB espaço livre
Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.