Voxel
02
Compartilhamentos

Watch Dogs e Assassin’s Creed têm ligação reforçada em side quest

Último Vídeo

A Ubisoft reforçou o crossover entre Assassin’s Creed e Watch Dogs trazendo um personagem da franquia dos assassinos para uma side quest seu mais novo jogo. É a maior confirmação até agora de que ambos os universos estão conectados — ideia que já vem sendo especulada há algum tempo. Apenas atenção, pois o que será comentado abaixo traz spoilers.

O personagem em questão, Olivier Garneau, aparece em Assassin’s Creed 4: Black Flag como o CEO da Abstergo Entertaintment. Você encontra Garneau várias vezes seção do game em que se joga nos dias atuais, antes de ele desaparecer a caminho de Chicago, a cidade onde Watch Dogs é ambientado.

Em Chicago

O que dá-se a entender é que Garneau foi sequestrado, possivelmente pela Irmandade dos Assassinos, mas o que houve com ele só é revelado na missão do comboio criminoso de Watch Dogs chamada “Requiescat In Pace”. Nessa missão você tem a tarefa de caçá-lo e interceptá-lo.

O personagem ainda está vivo ao fim do encontro, mas apenas por pouco. Ao escaneá-lo com seu dispositivo de perfis, o status que aparecerá é “Targeted by the Brotherhood”, algo como “Marcado como alvo pela Irmandade”.

YouTube

“Este cara está envolvido em coisa da pesada: genomas patenteados, manipulação de memória genética e testes farmacêuticos”, comenta Aiden Pearce, se referindo ao funcionário das Indústrias Abstergo. “Tudo isso, combinado a uma dose doentia de corrupção corporativa”.

It’s a me, Ezio!

Outro easter egg da franquia em Watch Dogs é visto quando você espiona um pai e um filho jogando Assassin’s Creed 2, um jogo que no universo da Ubisoft existe como produto da Abster Entertaintment. Os dois personagens são vistos assistindo uma cutscene e a voz de Ezio Auditore pode ser ouvida.

Essas referências confirmam devolvem a relação estabelecida em Black Flag, no ano passado, quando um email encontrado em um computador da Abstergo revela que a companhia foi contactada pela Blume, a responsável pelo Sistema Operacional Central (CtOS) de Watch Dogs.

Balde de água fria

Contudo, Darby McDevitt, roteirista de Assassin’s Creed disse várias vezes que as múltiplas conexões entre ambos os games são apenas referências divertidas e que as duas franquias não vão operar em um mesmo mundo, tal como Half-Life e Portal.

“Watch Dogs possui seu próprio game no universo da Ubisoft”, escreveu McDevitt em um fórum oficial da desenvolvedora. “Nós gostamos de inserir easter eggs em nossos jogos, mas eles não estão literalmente conectados”.

Talvez essas afirmações sejam, de fato, um balde de água fria para quem esperava um crossover maior, mas talvez o roteirista esteja apenas escondendo o jogo, quanto aos futuros planos da empresa em relação às duas IPs.

De qualquer forma, logo que Watch Dogs se consolidar como franquia, após mais um ou dois jogos, seria bem interessante ver a série dividindo um game com Assassin’s Creed. Talvez, pudesse ser a redenção para o fim decepcionante que teve a Irmandade “dos dias atuais” na controversa conclusão de Assassin’s Creed III.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.