Voxel

Xbox One “força” para que Dead Rising 3 rode em 1080p

Último Vídeo

Especializados em vasculhar os meandros digitais de um jogo, o pessoal do Eurogamer (mais especificamente a equipe Digital Foundry do site) revelou na última terça-feira (12) que o vindouro Dead Rising 3, exclusivo para Xbox One, roda a 30 quadros por segundo em 720p. O console da Microsoft é quem “estica” o game, exibindo-o em 1080p na tela.

Isso acaba gerando problemas visuais para alguns objetos que aparecem no display, especialmente árvores, cercas e outras partes do cenário que podem se mover de alguma forma. Nas palavras do Digital Foundry, DR3 parece mostrar de forma evidente “as marcas de um pós-processamento antialising”.

Além disso, o fato de encontrar algumas dificuldades em rodar jogos nativamente em 1080p levanta também questionamentos sobre a capacidade do Xbox One em trabalhar com games que buscam tal resolução.

Mundo aberto de verdade

Mas se a questão da resolução não ficou a ideal, a forma como o jogo se apresenta parece ter agradado aqueles que puderam colocar as mãos sobre ele. Um dos destaques dado pela equipe do Eurogamer foi justamente a presença de um mundo aberto que dispensa tela de carregamento.

Isso faz com que os ambientes do jogo sejam muito melhor explorados, inclusive com a possibilidade de se deixar de lado as salas menores e shoppings, marcas dos títulos anteriores do game. Tudo isso repleto pelo triplo do número de zumbis que se viu em Dead Rising 2, segundo a Capcom Vancouver.

Movimentos lentos

Uma das decepções apontadas pelo pessoal foi a queda da taxa de quadros por segundo quando um grande volume de zumbis aparece ao mesmo tempo na tela. Isso deixa o jogo lento por alguns instantes, algo bastante frustrante especialmente para um game de estreia de uma nova geração de consoles.

Segundo a Eurogamer, a equipe da Capcom revelou que o objetivo é fixar a transmissão em 30 fps, mas na versão jogada por eles quedas para 20 fps e até 16 fps foram registradas — daí os movimentos lentos em alguns instantes.

“Efeitos de explosões e fumaça são mistos. Alguns parecem nítidos e definidos, mas enfrentar grandes multidões de zumbis traz um aspeto distintamente quadrado com alfa sub-HD que não se encaixa bem com a nossa imagem para jogos de nova geração”, registra a postagem.

Um jogo ambicioso

Além de lembrar que Dead Rising 3 pode melhorar em vários aspectos técnicos até a data de seu lançamento, vale destacar também que a equipe do Digital Foundry também levantou pontos positivos da jogatina.

“Não existe falta de ambição aqui: temos motion blur por objeto, reflexos de lente, e o que parecem ser efeitos de fogo alfa de resolução completa surgindo da nossa primeira criação — um híbrido de moto e compressor”, relata a equipe.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.