Os mutantes da Marvel sofrem com a involução digital

Sob os cuidados da Silicon Knights — a mesma por trás de Metal Gear Solid: Twin Snakes, Eternal Darkness, Legacy of Kain e Too Human — o jogo X-Men: Destiny tinha tudo para ser uma excelente pedida para os fãs de quadrinhos. Navegando no sucesso recente da última iteração cinematográfica dos mutantes Marvel, o título acompanha a saga de um jovem que descobre seus poderes e deve encontrar seu verdadeiro destino.

Infelizmente, a ideia parece não traduzir muito bem para os consoles. Inúmeras falhas técnicas prejudicam consideravelmente o potencial do roteiro, assinado por Mike Carey, autor da série X-Men: Legacy.

A Silicon Knights parece ter perdido a mão completamente, desde a chegada de Too Human, título que demorou mais de nove anos para ser desenvolvido, o estúdio não consegue emplacar um jogo à altura do seu passado glorioso. Gráficos datados e uma jogabilidade previsível minam toda a experiência que acaba agradando somente aos fãs mais ardorosos dos quadrinhos da Marvel.

As comparações com inFamous são inevitáveis e mesmo com todo o apelo dos mutantes da Marvel, parece que Cole MacGrath se deu melhor nessa briga. X-Men: Destiny provoca o fã com um conceito inteligente, no entanto, tudo não passa de uma provocação, pois o jogo não é nada interessante.

Os problemas técnicos prejudicam consideravelmente a apreciação do título, que pena com visuais limitados e uma inteligência artificial nada evoluída. Os efeitos sonoros também são pouco explorados e em nenhum momento empolgam o jogador. Enquanto isso, a jogabilidade sem mostra simplista e repetitiva, não oferecendo nenhum desafio real aos fãs do gênero.

Na teoria, X-Men: Destiny não se diferencia muito de outros títulos do gênero. A mistura de RPG e ação não fica muito aquém da estrutura presente em God of War. No entanto, a prática é bem diferente e o que encontramos é um jogo descartável, que pode atrair somente ao fã mais ardoroso dos mutantes Marvel.

Clique aqui para saber como funcionam os critérios das análises do Baixaki Jogos!

Agradecemos ao pessoal da Proximo Games pela disponibilização do jogo.

Os agentes do destino

Img_normalO sistema de combate é relativamente simples, porém, dotado de uma boa variedade de golpes, combos e poderes. Tudo o que você precisa para dominar o sistema de combate é um pouco de tempo e dois botões.

Outro ponto positivo é a presença ilustre de inúmeros personagens do universo mutante da editora Marvel. Conforme você encontra o seu destino, ao lado da Irmandade de Mutantes ou dos X-Men, alguns rostos bem conhecidos ajudaram o seu “heróis” a escolher um lado na eterna luta por paz racial.

Ciclope, Wolverine, Mercúrio, Destrutor, Gambit e Noturno são apenas algumas das figurinhas carimbadas que dão as caras no jogo. Infelizmente você não poderá controlar nenhum deles, mas pelo menos poderá “emprestar” os seus poderes.

Os diferentes elementos de RPG conferem alguma profundidade ao que parece ser um mero Brawler. Os pontos de experiência podem ser utilizados para desbloquear novas habilidades e poderes, permitindo que você escolha a forma como quer “evoluir” o seu mutante.

Involução

O grande problema de X-Men: Destiny é o fato do jogo não conseguir alcançar todo o potencial do projeto. As ideias por trás do título apresentam algo verdadeiramente envolvente e fiel ao material original. 

Img_normalTodavia, o que temos na versão final é um título superficial e pouco inspirado. O sistema de combate é repetitivo e o esquema de decisões morais — que poderia acrescentar muita profundidade ao desenvolvimento da narrativa — não passa de perfumaria, sem qualquer efeito real dentro da jogabilidade, salvo pela escolha da facção (X-Men ou Irmandade de Mutantes).

Na pratica as suas escolhas morais apenas determinam quem serão os personagens coadjuvantes na próxima missão. Além disso, quando dizemos missão estamos falando do espancamento sistemático de sucessivas levas de capangas desmiolados.

Não há um desafio real e mesmo o jogador mais inexperiente não terá dificuldade para solucionar os poucos quebra-cabeças — leia-se procurar por pontinhos brilhantes espalhados pelo mapa. Ademais, as lutas contra os chefes também não representam nenhuma dor de cabeça aos jogadores, basta desferir golpes freneticamente sem qualquer preocupação estratégica.

LiXo

X-Men: Destiny é um apanhado de bugs gráficos e outros problemas técnicos. A inteligência artificial é no mínimo risível, os oponentes simplesmente correm na sua direção como gado rumo ao abatedouro.

Não há necessidade de estrutura seus ataques, haja vista a total falta de aplicação tática dos inimigos. Com um pouco de aplicação você consegue desbloquear grande parte dos poderes, deixando tudo ainda muito mais fácil.

Todavia, é no quesito gráfico que o jogo realmente se destaca... Negativamente, é claro. O título apresenta inúmeras questões, algumas inclusive que afetam diretamente a jogabilidade, como o mau posicionamento de câmera e problema na detecção de colisão.

Img_normalA direção de arte tem seus momentos de lucidez, apresentando uma estética dinâmica análoga à dos quadrinhos. Infelizmente tudo é sublimado pela presença de modelos horrendos, texturas nojentas e animações hediondas, devidamente complementadas por uma engenharia de som nada criativa e pouco inspiradora.

Destaque para uma das sequências iniciais na qual Magneto arremessa uma parte da Ponte Golden Gate sobre uma série de edifícios e tudo o que escutamos é o som de alguns pedregulhos rolando... Lamentável.

Compre com o menor preço:
55 ps3
Fraco

Outras Plataformas

55 xbox-360